Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

COMO NASCEU A PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA - IMBUÍ

O bairro do Imbuí, estruturado por volta de l976/77 nascia para ser a expansão da cidade de Salvador. Logo cresceu o número de edifícios dispostos em condomínios residenciais. Com isto nascia também a especulação para o comércio e serviços diversos.

O Imbuí hoje conta com muitos conjuntos ou condomínios, com um comércio que se estende por nove pequenos shoppings e casas comerciais, possui duas redes de supermercados (Bom Preço e Extra), está bem servida em serviços diversos (clinicas, consultórios, escritórios, etc) e está assistida por três redes bancárias, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, Banco Itaú.

Quando o Imbuí nasceu, vieram com ele os sinais visíveis da fé cristã. Não tendo sido projetado um local para a igreja, as famílias começaram a se reunir em suas casas e nas ruas para a oração do terço, o Oficio de Nossa Senhora, a leitura da Palavra Sagrada. Como fruto destes encontros, em 1980, um trabalho mais consistente surgia. Aos domingos, passou a ser celebrada a Santa Missa no Colégio Mons. Manuel Barbosa. Neste mesmo tempo, nas festividades do Natal, foi celebrada uma missa pelo então Cardeal Arcebispo de Salvador, o saudoso D. Avelar Brandão Vilela, que enxergou no bairro uma paróquia para um futuro breve devido ao crescimento populacional do bairro. Com D. Avelar, as pessoas que faziam o movimento religioso escolheram para padroeira Nossa Senhora da Conceição Aparecida, pois sendo esta, a Padroeira do Brasil ainda não tinha nenhuma Igreja a ela dedicada na cidade de Salvador. Com isto, não nascia apenas a esperança de uma paróquia, mas o desejo ardente de que esta paróquia constituísse um santuário de devoção à Mãe de Deus e dos homens.

A partir daí, lutas, trabalhos, suor, alegrias, e vitórias aconteciam tecendo a história de uma parte do Povo de Deus no meio da cidade de Salvador. Conseguiu-se o terreno que foi permutado posteriormente, o que sentimos como obra divina, pois a localização do mesmo é hoje o coração do bairro.

Em l988 deu-se início a construção de uma parte da obra – o Centro Comunitário – para que pudesse, em pouco tempo, atender as nossas necessidades, sediando as diversas atividades e as exigências que iam surgindo. Ainda em construção, o Centro Comunitário já acolhia as diversas atividades como catequese, missas, encontros, cursos e reuniões. Entre l989 e 2009 o trabalho pastoral foi se expandindo com o surgimento de grupos e movimento e a imediata organização administrativa e financeira. Crescendo o número de fiéis e, com isto, aumentando as exigências, sentiu-se a necessidade de criar, nos condomínios, trabalhos que expandissem as atividades do Centro Comunitário. Foi criado então, áreas, hoje sinais de comunidade eclesial, pois se reúnem para leitura e meditação do Evangelho, orações, palestras, cursos, novenários e, de forma particular, a visitação da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida nos lares. Muitas famílias recebem esta visita da Mãe de Deus e no final do mês todos se reúnem para um momento comum de oração.
A festa da nossa Padroeira, no dia l2 de outubro, já é uma realidade no calendário católico, pois recebemos muitos devotos para as missas e procissão sempre com a cobertura da imprensa (redes de televisão e jornais).
Este portanto é o retrato de uma Igreja jovem que teve a imensa alegria de se tornar PARÓQUIA no Ano Jubilar – 2000 Anos de Nosso Senhor Jesus Cristo – e que quer, de forma madura, participar da obra salvífica do Senhor sob a proteção de Maria no título a ela consagrado pelo povo brasileiro – Nossa Senhora da Conceição Aparecida.
Tendo sido confiada pela Arquidiocese de Salvador à Congregação Jesus e Maria dos Padres Euditas, estes promoveram uma intensa motivação pelo engajamento de toda  comunidade na construção do Templo e da Casa Paroquial, que hoje praticamente concluídos oferecem então uma estrutura digna e adequada ao crescimento do projetos de evangelização, carisma próprio os Padres Eudistas.
Que São João Eudes unido à Santíssima Virgem Maria, intercedam pela paz e prosperidade desta grandiosa obra de evangelização.
 
Somos discípulos de Jesus Cristo
Hoje é Jesus quem passa e joga o manto sobre cada um para que nos tornemos Seus discípulos. Cristo chamou Seus discípulos e pouco tempo depois mandou-os, de dois em dois, para pregar e realizar curas no nome d'Ele. Ele não deu um longo curso para prepará-los. Jesus teve uma vida pública de apenas três anos. Depois de um ano, mais ou menos, Ele já os estava enviando a pregar e até mesmo a realizar milagres em Seu nome.

O discípulo é aquele que está aprendendo com o seu mestre. Somos discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele jogou Seu manto sobre nós. Em todas as profissões, Deus quer discípulos: médicos, pedreiros, engenheiros, mecânicos, professores, alunos, patrões e operários, empresários, comerciantes, lavradores, fazendeiros, ou seja, em todos os meios e setores, o Altíssimo precisa de profetas.

Deus o abençoe!

Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player